© Certaja.

19/12/2023

Uma vida ao lado da CERTAJA Energia

Conheça as histórias de colaboradores aposentados que dividiram suas jornadas com a Cooperativa e que a deixam no fim deste ano

A CERTAJA Energia tem, na sua essência, a cultura de andar lado a lado com a comunidade e com as pessoas que fazem parte de sua história. Isso inclui os colaboradores, que, durante os 54 anos da Cooperativa, ajudaram a construir, desenvolver e manter esta iniciativa tão importante. 

São histórias entrelaçadas. Entre elas, as de cinco colaboradores que integram o Programa de desligamento programado de colaboradores aposentados. Eles viveram boa parte de suas vidas na CERTAJA Energia e, ao fim de 2023, concluem suas trajetórias dentro da Cooperativa: Maria de Fátima Silva Hassen, Paulo Fernando Pereira, Marisa Angélica da Silva, Marli Costa de Araújo e Marcus França. O Certajano deste bimestre conversou com eles e divide, com você, um pouco destas histórias.
 

Maria de Fátima, uma profissional realizada


A CERTAJA Energia busca contribuir na vida de todos que são alcançados por ela. Inclusive, com oportunidades. É o caso de Maria de Fátima Silva Hassen, colaboradora da Cooperativa desde novembro de 1982. À época, ela estava desempregada, havia se divorciado e precisava cuidar da filha, Lise Flores, então com dois anos de idade. A partir da dica de uma amiga, que já trabalhava na Cooperativa, ela se candidatou a uma vaga.

"Iniciei as atividades como auxiliar de escritório no setor de faturamento, em uma época em que o acesso ao conhecimento técnico era restrito, e o aprendizado dependia de colegas mais experientes. Todos os processos eram realizados manualmente", recorda-se.

Depois de atuar no setor de contabilidade e passar pelo financeiro, assumiu como gestora de Recursos Humanos, setor no qual atua até hoje. "A Cooperativa começou a investir no aprendizado. E foi através desta estratégia de investimento e valorização que realizei meu sonho de ingressar nos Recursos Humanos", conta.

Em paralelo a essa jornada, ela criou a filha, hoje uma professora, e contribuiu para a educação do neto, Pedro, de 15 anos. "Todos os fatos que ocorreram nos meus 42 anos de Cooperativa foram significativos, estão impregnados no meu DNA e me tornaram uma cidadã do mundo e uma profissional realizada", destaca.
 

Paulo Fernando, um homem de família


É comum que profissionais se refiram às suas equipes como uma família. Na CERTAJA Energia isso não é diferente. Porém, ao olharmos para a história de Paulo Fernando Pereira, podemos atestar que isso é uma realidade. Afinal, quando ingressou na Cooperativa, em maio de 1984, o fez por indicação de familiares e amigos que também atuavam na instituição.
 

"Como eu tinha experiência com motos e bicicletas, assim como com oficinas, ingressei na loja da Cooperativa, onde lidava com diversas peças e utensílios. Mais tarde, fiquei responsável pela entrada de notas fiscais no estoque do supermercado da CERTAJA", lembra.

Se sua chegada à Cooperativa passa por sua família, esse vínculo foi continuado através de sua filha, Marina. Ela ingressou na CERTAJA em 2009, como Jovem Aprendiz, e, hoje, atua como analista de RH. Nesta reta final, ainda que esteja sendo um período feliz, Paulo Fernando reconhece que o ‘depois’ será desafiador. 

"Acordar e não vir, após 40 anos de trabalho, será estranho. Porém, o tempo foi ótimo para mim e para minha família. Quarenta anos é muito para quem olha de fora. Para quem viveu, passou rápido", sorri.
 

Marisa Angélica da Silva, uma trajetória ao lado das lideranças


A trajetória da CERTAJA Energia é marcada por alguns nomes que se tornaram referência, não só para a Cooperativa, mas para toda a região. Exemplo disso é o atual presidente da CERTAJA Energia, Renato Pereira Martins, e o ex-presidente da Cooperativa, Frederico Damião Arnt Bavaresco. Curiosamente, desde 1994, um nome esteve ao lado deles, Marisa Angélica da Silva.

Depois de uma década trabalhando em uma corretora de seguros, Marisa ingressou na CERTAJA Energia como secretária geral e, durante muito tempo, deu suporte direto para a Gerência Financeira, na pessoa de Martins, e para a presidência, na figura de Bavaresco. "Durante 24 anos atuei nesta função. Lembro que foi dolorosa a perda do Sr. Bavaresco, em 2008, mas conseguimos seguir."

Atualmente, às vésperas de deixar a Cooperativa, Marisa está equilibrando momentos de tranquilidade e outros de razoável apreensão. Ela comenta que a pergunta "Como será não ir à CERTAJA?" surge em sua mente, vez ou outra.

"Pretendo continuar trabalhando e implementar um negócio próprio, voltado à área estética, algo que faço há mais de 30 anos. Quero aproveitar esse período, que foi de trabalho, comprometimento e aprendizado", ressalta.
 

Marli Costa de Araújo, um acaso que marcou a vida


Depois de 22 anos de carreira, é difícil pensar em mudar. Exceto quando uma porta se abre. É o caso de Marli Costa de Araújo, que, desde 2008, atua na limpeza da CERTAJA Energia. Seu ingresso na Cooperativa veio depois do convite de uma conhecida, que já integrava o time de colaboradores.

Por mais de duas décadas, ela atuou no setor calçadista. Desempregada, recebeu a proposta de fazer um teste na Cooperativa. Ela trabalharia por três meses como um teste - não apenas para a Cooperativa, mas também para ela. No fim do ano, Marli se aposenta com 15 anos de trabalhos prestados. "Gosto muito desse pessoal. Eu adoro eles. Para mim, são como parte da família", avalia.

Curiosamente, seus laços com a Cooperativa não terminam por aqui, já que sua filha, Roberta, continuará como colaboradora, numa história que já possui 13 anos. A partir de janeiro de 2024, Marli quer aproveitar a aposentadoria, conhecer novos lugares e dedicar ainda mais tempo ao trabalho de revendedora de cosméticos.

"Vou ter que dizer um tchau para a CERTAJA, como trabalho, mas vou ficar passeando por lá e dando abraço neles, de vez em quando", brinca.
 

Marcus França, uma parceria que precede o trabalho


Na segunda metade dos anos 2000, a CERTAJA Energia implementou o Manual de Contabilidade do Setor Elétrico. Para isso, consultores auxiliaram a Cooperativa no desenvolvimento desta iniciativa. Entre eles, Marcus França. Essa parceria resultou, em 2008, em sua contratação como assessor da diretoria. Ele foi gerente financeiro e, hoje, atua na Controladoria. 

Essa relação rendeu diversos resultados e alguns prêmios, como os troféus recebidos pelas melhores demonstrações contábeis no segmento de permissionárias no Brasil - essa é uma premiação anual promovida pela Associação Brasileira dos Contadores do Setor de Energia Elétrica (ABRACONEE). Em três ocasiões, a CERTAJA Energia ficou em primeiro lugar.

França se prepara para este novo momento. De coração tranquilo, consciente do ambiente de trabalho saudável que deixará, ele se organiza para continuar atuando como consultor. 

"Foi um período muito agradável e produtivo, com diversos desafios e vitórias. Um ponto importante da CERTAJA é o relacionamento harmonioso entre os colegas, assim como o profissionalismo e a dedicação com os quais são desenvolvidas as atividades", enfatiza.
 

Tags relacionadas
Suporte Certaja